Loading…

BAIXO RISCO DE LESÃO E ALTA PERFORMANCE

PHAST é uma ferramenta de avaliação fisioterapêutica para análise do perfil funcional e de risco de lesões de forma prática e inovadora.
Saiba Mais

Entenda a pronação excessiva e suas consequências

A pronação é um movimento fisiológico da articulação subtalar (calcâneo e talus) com contribuição da articular transversa do talus (mediopé) e é necessária para permitir a descarga de peso durante a marcha. (Neumann).

O eixo do movimento da subtalar é oblíquo e por isso este movimento ocorre em 3 planos, permitindo eversão, abdução e dorso-flexão. Além disso, há uma INTERDEPENDENCIA entre esses movimentos e a cinemática do quadril. INVERSÃO = Rotação externa quadril. EVERSÃO = rot. interna de quadril. (Souza et al., 2010. Clin Biomec).

A pronação pode ser causada pelo alto ângulo antepé-perna em varo (Souza et al. /Manual Therapy , 2014 e Monaghan et al., 2013 ) OU pela fraqueza e baixa rigidez dos rotadores laterais do quadril (Souza et al. /Manual Therapy , 2014 e Snider etal., 2009). Esses fatores combinados predizem em até 40% da eversão do calcaneo durante a marcha (Souza et al., 2014). Ou seja, a cinematica do pé é multifactorial e depende tb da interação entre mobildade, força muscular e nível de ativação.

QUANDO há pronação prologanda ou atraso na re-supinação (Becker et al., 2017. Am J Sports Med), principalmente na fase de impulsão (quando deveria ocorrer a supinação e alavanca rígida para ação do tríceps sural) há alterações na cinemática de todo o membro inferior, podendo sobrecarregar o tendão de Aquiles e levar ao Stress Medial Tibial. Além disso, devido a rotação interna dos MMII há sobrecarga no joelho, relacionando com dor Patelo-femoral (Barton et al, 2009. Gait and Posture).